A Cúpula dos Povos “Fora OMC”, realizada em Buenos Aires, paralelamente ao encontro da Organização Mundial do Comércio (OMC), terminou nesta quarta-feira (13), com a Declaração Final da Cúpula. Como um dos pontos altos, uma grande marcha foi realizada na terça-feira (12), que saiu do Congresso Nacional e foi até o Obelisco, no Centro de Buenos Aires, celebrando o resultado das pressões contra o avanço dos acordos de livre comércio da conferência oficial e convocando a participação dos movimentos sociais na próxima trincheira de luta planetária: o Fórum Social Mundial, a ser realizado em Salvador, Bahia, de 13 a 18 de março de 2018.

Mais uma vez, a OMC termina uma conferência bienal anunciando a falta de resultados. O fracasso vem se dando desde que movimentos globais cercaram a reunião global de 1999, em Seattle, contra os acordos de favorecimento às transnacionais acima dos interesses sociais e soberania das próprias nações. O evento em Seattle marcou também o início das manifestações dos então chamados novos movimentos que, junto com organizações sociais e sindicais anti-hegemônicas convocariam o primeiro Fórum Social Mundial, em 2001, em Porto Alegre.

Os esforços do governo da Argentina, Maurício Macri, para manter distantes as pressões sociais chegaram ao cúmulo de orientar aos organizadores da conferência para o descredenciamento de ativistas e delegações de organizações sociais de vários países e à ordem de deportação de jornalistas, sem explicações ou bases legais. O escândalo – tratado como papelão pela mídia argentina e de autoritarismo absurdo pela mídia internacional – levou as embaixadas de países como Brasil,  Equador e Noruega a agirem. Junto com recursos de organizações estrangeiras, o governo Macri foi obrigado a recuar.

A Cúpula dos Povos “Fuera OMC” denunciou as propostas de acordos violadores de direitos e debateu estratégias de resistência. Ao final, o documento da Cúpula anunciou a convocatória para as próximas grandes ações internacionais:  08 de Março com luta e paralisação das mulheres e o FSM 2018. “As organizações e movimentos da Cúpula dos Povos fora da OMC pedimos à continuidade das lutas de resistência à presente ofensiva do capital internacionais contra os direitos dos povos, na construção coletiva da próxima edição do Fórum Social Mundial 2018, em Salvador, Bahia, Brasil, de 13 a 17 de março. Resistir é criar, resistir é transformar” – termina o documento, reafirmando o lema do FSM 2018.

Leia o documento na íntegra

0 Comentários

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Contato

Deixe uma mensagem e etornaremos o mais rápido possível. You can send us an email and we'll get back to you, asap./puede enviarnos un correo electrónico y nos comunicaremos con usted lo antes posible./vous pouvez nous envoyer un email et nous reviendrons vers vous, dès que possible.

Enviando
Select your currency
EUR Euro

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account