Mapa não está disponível

Título Exibição e Debate sobre o Documentário ‘As Cores da Serpente’ (Direção: Juca Badaró)

Tema - Território

Lema #arteantesquesejatarde, L’art avant qu’il ne soit trop tard, sem grupo

Descrição / Relato

DOCUMENTÁRIO ‘AS CORES DA SERPENTE’ (DIREÇÃO: JUCA BADARÓ)
DATA: sexta-feira, 16 de Março de 2018
HORÁRIOS: EXIBIÇÃO DO DOCUMENTÁRIO – 14H30 | DEBATE SOBRE GRAFFITE- 15H10 | CAMINHADA PARA A PRAÇA: 15H30 COM INTERVENÇÃO DE BANDA ATÉ 17H
 A ideia é proporcionar um conhecimento sobre um assunto contemporâneo e mundial do grafite sob o contexto Africano através do documentário “As cores da Serpente” do diretor Juca Badaró. Rodado em continente Africano, resgata a ancestralidade do povo que começou todo esse processo de expansão e conhecimentos. O documentário aborda a arte do grafite como ferramenta transformadora de pessoas e espaços, realizado pelo artista Africano Thó Simões. “Documentário poético que retrata a maior intervenção de grafite em África. A busca pela tradição e ancestralidade é o que move jovens artísticas angolanos a pintar, sem apoio institucional, mais de 6 mil m² na Serra da Leba, Estrada que une 2 províncias: Huila e Namibe, num país que viveu mais de 30 anos em guerra.”
Links do trailer e entrevistas:

https://www.facebook.com/ascoresdaserpentefilme/

Cinerama – TVE Revista

Rai Trindade e Juca Badaró falam sobre a pré-estreia do doc no TVE Revista!

Posted by As Cores da Serpente on Monday, November 27, 2017

Roteiro e direção: Juca Badaró
Produção: Renata Matos e Vladmir Prata
Fotografia e câmera: Juca Badaró e Tho Simões
Assistente de câmera: Renata Matos
Som: Fábio Evanilson, Renata Matos e Juca Badaró
Montagem e finalização: Sandro Dourado e Juca Badaró
Texto do poema de abertura: Renata Matos
Tradução de helelo e voz off: Joaquina Hortência
Coordenação de tradução: Engrácia Pombo

 Após a exibição do documentário, sugerimos um conversa/debate com intervenções de artistas baianos da cena grafite. Seria uma conversa sobre o documentário versus o trabalho deles enquanto ocupação de rua (20 minutos).
convidados e participantes:
– Juca Badaró: diretor do documentário
– Denis Sena: artista plástico e grafiteiro Operário cultural
– Eder Muniz: artista plástico e grafiteiro do Calangos de rua
– Luan Matos: grafiteiro de Pituaçu

 Depois disso, sugestão de caminharmos até a Praça Mário Albiane, ao lado do Parque, para fazer uma intervenção com os artistas e visitantes do evento e as crianças que estiverem no local.
 Infra-Estrutura:
– 1 Data Show (Magno – Casarão Itapuã)
– 1 Sistema de som para palestra
– Lycras para rodear o quiosque (Pedir apoio com ofício do evento, ao comércio local com tecido e tintas sprays)
 Sugestão de fazer a intervenção do graffite na praça com música, banda Cria Nativa, fortalecendo a cena e abrindo espaço para artistas locais (16h às 17h).
– Infra-Estrutura:
1 sistema de som para a banda.
2 banheiros químicos na praça (pendência de apoio).
1 palco (com pallets) e 1 toldo para som (pendência de apoio).
Sugestão: Telas, Pintura no chão da praça, nos equipamentos existentes, para intervenção do graffite na praça (Definir isso com moradores + frequentadores do local).

Data/hora
Date(s) - 16/03/2018
14:30 - 17:30 .

Perfil


Contato

Deixe uma mensagem e etornaremos o mais rápido possível. You can send us an email and we'll get back to you, asap./puede enviarnos un correo electrónico y nos comunicaremos con usted lo antes posible./vous pouvez nous envoyer un email et nous reviendrons vers vous, dès que possible.

Enviando
Select your currency
BRL Real brasileiro
EUR Euro

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account