FOPIR – De 13 a 17 de março, Salvador recebe o 13° Fórum Social Mundial (FSM). Com o lema “Resistir é criar. Resistir é transformar!”, o Fórum visa promover a transformação do ser humano em busca de “Um outro mundo possível”. Entre as atividades da programação está a Roda de Conversa “JUVENTUDE NEGRA DEBATE: GENOCíDIO, POLÍTICAS DE DROGAS E ESTRATÉGIAS DE SEGURANÇA COLETIVA”. A atividade é realizada pelo Fórum Permanente pela Igualdade Racial (FOPIR) e acontecerá na próxima sexta-feira (16), às 14h, Centro de Estudos Afro Orientais (CEAO).

Integrantes do Fopir, o Odara Instituto da Mulher Negra, o Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (CEERT), o Observatório de Favelas e a Redes da Maré organizam, em um esforço coletivo, o evento que tem como objetivo desenvolver estratégias de mobilização para fortalecer o enfrentamento do racismo e a defesa das políticas de promoção da igualdade racial e de gênero.

O aumento do encarceramento em massa e do assassinato de pessoas negras, especialmente os jovens, a crescente truculência das polícias, a permanência da seleção racial no sistema de justiça, o aumento do militarismo e do paramilitarismo nas comunidades negras, exige estratégias autônomas de prevenção à violência, encarceramento e morte da juventude negra, alvos preferenciais da política de segurança pública.

As consequências das políticas de segurança pública e combate às drogas é que no Brasil mata-se todos os anos mais de 60 mil pessoas, 71% das vítimas são negros. A cada 23 minutos, um jovem negro é assassinado no país.

A roda de conversa pretende reunir ativistas das lutas Contra o Genocídio da População Negra, ativistas e pesquisadores pela legalização das drogas, ativistas e profissionais do Direito, militantes negras e negros em geral, principalmente da juventude, para debater estratégias de segurança coletiva para as comunidades e jovens negrxs.

A proposta é que a partir da roda pensar coletivamente alternativas de como os movimentos e comunidades negras podem seguir em diálogo para prevenir e agir diante de situações de vitimização da juventude negra e periférica.

Além das instituições que organizam o debate, também estão confirmadas a participação do Odeart (Ba), Unibairros (Ba), Instituto Mídia Étnica (Ba), Renfa – Rede de Feministas Anti Proibicionistas (Ba/Br), INNPD – Iniciativa Negra Por Outra Política de Drogas (Ba/Br), CAMA – Centro de Arte e Meio Ambiente (Ba), Odeart (Ba), Coletivo Brejo (Ba), Coletivo Ocupa Preto (Ba), INegra – Instituto Negra do Ceará (Ce), Coletivo Bonja Roots (Ce), Movimentos (RJ), Coletivo Papo Reto (RJ), DataLabe (RJ), Olabi – PretaLab (RJ), Casa Fluminense (RJ).

Serviço

Fórum Social Mundial FSM 2018

Juventude Negra debate: Genocídio, política de drogas e estratégias de segurança coletiva

Data: 16 de março

Horário: 14h

Local: Centro de Estudos Afro Orientais (CEAO). Largo Dois de Julho.

Classificação: livre

Entrada: gratuita